S.C. MORRO DA CASA VERDE

Ficha técnica

Nome Oficial: Sociedade Carnavalesca Morro da Casa Verde

Data de Fundação: 06/04/1962

Cores: Verde, rosa e Branco

Símbolo: Uma casa no morro

Endereço: Av. Eng. Caetano Álvares, 2946 - Prq. Peruche, São Paulo - SP, 02534-001

Presidente: Laurinete Nazaré da Silva Campos (Dona Guga)

Carnavalesco: Fabinho

Intérprete: Adeilton Almeida

1º Casal de Mestre Sala e Porta Bandeira: Marcos Godoy e Camila Moreira

Mestre de Bateria: Marcel Bonfim

Rainha de bateria: Rafaela oliveira

Diretor de Harmonia: Gilson Caetano

Coreógrafa Comissão de Frente: Camila Moraes

A escola, na verdade, é uma dissidência da Unidos da Casa Verde, que deixou de existir em 1963. A Morro da Casa Verde iniciou sua vida na Passarela no final dos anos 60, fundada pelo Sr. Zezinho de Nazareth, o Zé do Banjo, um dos sambistas mais respeitados nas rodas de samba de São Paulo. Na década de 1970, oscilou entre os grupos I e II. Nos anos 80, teve uma recaída e ficou entre os grupos II e III. Nos anos 90, com a morte de Zezinho do Banjo (91), sua filha Laurinete Nazaré da Silva (Dona Guga) assumiu a presidência, com o auxílio de filhos e netos e a escola começou a se reerguer, passando a desfilar nos grupos II e I, chegando em 2000 ao grupo especial com o vice-campeonato no Grupo 1 de 1999.

Um fato que marcou muito aconteceu no ano de 1986, quando faltava uma semana para o carnaval e a escola realizava seu último ensaio antes do desfile. A Comissão de Frente era chefiada pela mãe de Dona Guga que estava doente e pediu para ver o ensaio. Claro que foi atendida, mas durante o ensaio, emocionou-se muito, não suportou e faleceu.

A história da escola, que é também uma escola dirigida por gerações de uma mesma família, a exemplo da Nenê de Vila Matilde e Leandro de Itaquera, teve momentos marcantes. Não fosse a teimosia e a garra de Dona Guga, uma das fundadoras da escola, talvez hoje a Morro da Casa Verde não estivesse desfilando nas passarelas do samba, já que chegou a ser ameaçada de extinção pelo seu fundador, que não aguentava mais ver a sua escola tão por baixo, já que chegou a estar no Grupo 3.

Antes de 2000 a morro participou do desfile principal em 1972 e de 1974 a 1977. Outras grandes personalidades da escola são os compositores Zeca da Casa Verde, que também fez parte da Rosas de Ouro, Talismã, do Camisa Verde e Branco e Nelson Dalla Rosa, um dos autores do samba da Estação Primeira de Mangueira campeã de 1998.

Em 2010 ela apresentou o enredo "De Quem é Essa Bola?" e ficou em 5º lugar. Em 2011 a Morro De Casa Verde levou um enredo muito empolgante sobre a Bahia e foi considerada como uma das favoritas ao acesso, mas, na apuração, a escola perdeu no desempate do quesito Evolução e ficou no mesmo Grupo.

Em 2012 a escola apostou em sua história para tentar o acesso à elite do carnaval paulistana.

Em 2016 a escola falou de Dom Afonso,Porem a escola da Casa Verde acabou sendo rebaixada para o Grupo 1-UESP em 2017,e viu a sua escola vizinha Império de Casa Verde ser campeã do Grupo Especial